Educação e Cultura - Mídia Recôncavo
Recôncavo, Terça , 16 de Janeiro de 2018
Enquete
Entre Aspas
Seja amor,seja muito amor. E se mesmo assim for difícil ser, Não precisa ser perfeito, Se não der pra ser amor, Que seja ao menos respeito. #CultiveORespeito
  Disse Desconhecido  
Educação e Cultura
Foto: Sérgio Pedreira/ Ag. Haack / Bahia Notícias

Foi aprovado, nesta terça-feira (5), na Assembleia Legislativa da Bahia, o projeto de Lei 22.249/2017, que reconhece o Grupo Olodum como patrimônio cultural imaterial do Estado da Bahia. “Além do sucesso no âmbito da música, o Olodum cuida de projetos sociais, desenvolve ações de combate à discriminação racial e luta pela garantia dos direitos humanos. É preciso valorizar essas ações da entidade, que promovem a cultura baiana. Além disso, o legado do Olodum serve de exemplo para outros grupos afro-descendentes”, avaliou a deputada Luiza Maia (PT), autora da proposta.

Fundado em 25 de abril de 1979, no Pelourinho, como bloco carnavalesco, hoje, aos 38 anos, o Olodum se tornou algo maior. Além de banda e bloco, que promovem a cultura baiana nacional e internacionalmente, o Olodum é também uma organização não governamental (ONG) do movimento negro brasileiro e desenvolve ações voltadas para o combate à discriminação e a luta pelos direitos civis e humanos de pessoas marginalizadas.

 

Fonte: Bahia Notícias

Foto: Divulgação

Na próxima quinta-feira (07) a partir das 19h30, acontece na Câmara de Vereadores uma Sessão Especial em homenagem aos professores. A iniciativa da Sessão é da vereadora professora Ilza e terá como oradora oficial a deputada federal, Alice Portugal, que também é uma das autoras do piso nacional dos professores.

“A Sessão Especial será um momento de reconhecimento desses profissionais, onde  destacaremos  os entraves e desafios de ser professor(a) na atualidade, os caminhos para superação das dificuldades, ao tempo em que lhes prestaremos homenagens incentivando-os para o cumprimento da sua nobre tarefa de educar”, comentou a parlamentar.

Durante a Sessão, os vereadores farão homenagens aos professores entregando uma comenda em reconhecimento aos serviços prestados pelos profissionais.

 

Ascom – Câmara de Vereadores de Cruz das Almas

Foto: Divulgação

Na manhã desta segunda-feira (04), o prefeito Tato anunciou o nome de Ana Luiza de Souza Marques, 39 anos, como a nova secretária de Educação de Cachoeira.

Ana Luiza é professora, pedagoga e especialista em gestão educacional. Entre os anos de 2004 e 2006 lecionou no Colégio Estadual da Cachoeira, no Ministro José Rabelo e na Escola Paroquial Dom Antônio Monteiro. Em 2007, atuou em Santiago do Iguape, e de 2008 a 2017 esteve à frente de programas e projetos, como o Pacto Nacional Pela Alfabetização na Idade Certa, PDDE Interativo, Plano de Ações Articuladas, Novo Mais Educação, entre outros.

A partir de hoje, Ana Luiza passa a responder pela Secretaria e o vice-prefeito Gevaldo Simões assume a subprefeitura em Santiago do Iguape.


Informações Mídia Recôncavo

Foto: Reprodução

Desde o início do ano, quando o município aderiu ao Programa Parceria Votorantim pela Educação (PVE), através da Secretaria de Educação, as Escolas Municipais vêm desenvolvendo com os alunos atividades extracurriculares que visam melhorar o aprendizado. O programa, iniciativa do Grupo Votorantim, tem como objetivo contribuir para a melhoria da educação pública nos municípios onde a Votorantim atua, por meio da qualificação das práticas de gestão educacional e escolar, e da mobilização social das comunidades.

Na última quinta-feira (30), ocorreu o encerramento das atividades do programa em 2017, com a premiação do Desafio Criativos da Escola, além de apresentações teatrais e momentos recreativos. O Prêmio tem como objetivo valorizar o engajamento e o compromisso dos diferentes atores envolvidos nas ações do Programa e dar visibilidade às boas práticas desenvolvidas pelos municípios, contribuindo para a disseminação de trabalhos que possam ser inspirar outros municípios na busca pela melhoria da aprendizagem dos alunos.

As escolas participantes apresentaram seus projetos, 20 no total, superando a meta de 12 estabelecida pelo regulamento, e o Centro Paroquial foi premiado como Destaque Municipal, com o projeto “Juntos podemos fazer a diferença!”. O projeto vencedor propõe ideias para ajudar a melhorar a vida de pessoas carentes, como a arrecadação de roupas e alimentos para doação.

A equipe, composta pela professora Tainã de Araújo Ferreira e pelas alunas Ana Clara Gonzaga Santos, Beatriz Silva Freitas, Maria Fernanda Silva Santos, Milena Freitas Santos e Raíssa da Paixão do Vale, vai receber o valor de 500 reais para a educadora responsável e 1500 para celebrar a conquista ou investir no aprimoramento do projeto.

O secretário Ribamar Rodrigues parabenizou a todas as equipes pelo desenvolvimento dos projetos e agradeceu ao Grupo Votorantim pelo investimento na Educação, lembrando que o Programa ultrapassa as barreiras do ensino tradicional e trabalha a multidisciplinaridade. O secretário também garantiu que o município renovará a adesão ao PVE para 2018.

Representando o Grupo, o Gerente da Usina Hidrelétrica Pedra do Cavalo, Adilison Antônio Paiva de Melo, participou da premiação e elogiou os alunos, além de agradecer ao município pela parceria e adiantar que o projeto deverá ser ampliado no ano que vem.

Após o evento, a equipe vencedora visitou o gabinete do prefeito Marcelo Pedreira, onde recebeu os cumprimentos pela premiação.

 

Fonte: AGECOM

 Professores das quatro universidades estaduais da Bahia fazem paralisação das atividades por 24 horas nesta terça-feira (28). Os docentes fizeram um ato de panfletagem no início da manhã, nas imediações da Universidade Estadual da Bahia (Uneb), no bairro do Cabula, em Salvador.

O protesto foi validado nas assembleias da categoria em outubro deste ano, para que os portões pudessem ser fechados nesta terça-feira. Um indicativo de greve também foi aprovado.

Os professores pedem a destinação mínima de 7% da receita líquida de impostos do estado para o orçamento anual das universidades.

Conforme a Associação dos Docentes da Uneb (Aduneb), entre 2013 a 2016, as universidades baianas acumularam redução de R$ 213 milhões no orçamento. Na Uneb, 279 professores estão com direitos trabalhistas negados, conforme a associação.

De acordo com o coordenador geral da Aduneb, Milton Pinheiro, a paralisação reivindica também a recomposição salarial dos professores. "Mesmo com quatro universidades públicas no estado, o governador nunca nos recebeu e nem demonstra interesse em conversar com a categoria", disse ao G1.

Ele pontua ainda que cerca de 5.500 docentes, que representam o total dos professores das quatro universidades, aderiram à paralisação. Mais de 70 mil alunos são afetados com a parada, que também teve participação do corpo técnico, conforme Milton.

Em contato com o G1, as assessorias da Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (Uesb) e Universidade Estadual de Feira de Santana (Uefs) informaram que têm conhecimento do indicativo de greve.

A Uesb disse que não vai se posicionar sobre o caso e A Uefs informou que os docentes fizeram panfletagem no campus no início da manhã, mas voltaram às atividades.

O G1 não conseguiu contato com a Universidade Estadual da Bahia (Uneb) e a Universidade Estadual de Santa Cruz (Uesc).

Por meio de nota, a Secretaria de Educação da Bahia falou sobre a paralisação. Confira abaixo a nota na íntegra:

Sobre a mobilização dos professores das universidades estaduais, a Secretaria da educação do Estado da Bahia esclarece que:

- O Dia de Mobilização contra a MP 805/17, MP 792/17 e o PLS 116/17, a revogação da Emenda Constitucional 95, que congela por 20 anos os investimentos da União em políticas sociais, pela a revogação das reformas Trabalhista e do Ensino Médio e contra da Lei das Terceirizações, contra a Reforma da Previdência, a reestruturação das carreiras do funcionalismo, as privatizações e o ajuste fiscal é nacional e desencadeado pelo Fórum Nacional das Entidades dos Servidores Públicos Federais (Fonasefe) e pelo Fórum Permanente das Carreiras Típicas do Estado (Fonacate).

- A Secretaria respeita o direito de organização e de manifestação dos trabalhadores da educação.

Em relação ao repasse de recursos pelo Governo do Estado para custeio e manutenção das universidades, esclarece que:

- As Secretarias de Governo dialogam com as universidades.

- O Governo dá tratamento isonômico a todas as categorias.

- Cumpriu com as promoções e progressões acordadas com o movimento docente, na medida das possibilidades decorrentes da saída do limite prudencial.

- Sobre as reposições de salário, nas rodadas de reuniões que existiram, sempre ficou explicitado que isso decorre da trajetória da arrecadação.

- Quanto ao financiamento, o Estado tem destinado um sólido processo de aumento dos recursos para as universidades, passando de R$ 413.317.946, em 2007 para, 1.285.746.000, em 2017.

 

Fonte: G1

 A Universidade Salvador (Unifacs) anulou o vestibular para o curso de Medicina realizado neste domingo (26) após candidatos descobrirem que alguns cadernos de prova tinham as respostas corretas marcadas em negrito. Segundo informações do jornal Correio, ao instituição de ensino confirmou o cancelamento da avaliação na noite desta segunda-feira (27), após um grupo de cinco candidatos protocolarem junto ao Ministério Público do Estado (MP-BA) uma denúncia indicando a suspeita de fraude. “A Universidade Salvador informa que a Consultec, empresa contratada para a elaboração e aplicação das provas de vestibulares da instituição há mais de 25 anos, identificou falhas pontuais na impressão de alguns cadernos de prova, aplicados no Vestibular de Medicina 2018.1”, informou Unifacs. A instituição de ensino anunciou também a data da nova prova. “Como forma de garantir a equidade e a isonomia do vestibular, a Comissão Permanente do Processo Seletivo, a Reitoria da UNIFACS e a Consultec decidiram anular a aplicação da prova realizada no dia 26/11. Com essa definição, uma nova prova será realizada no dia 09/12 (sábado), das 15h às 19h, no mesmo local – Campus Tancredo Neves”. Mesmo com a realização de uma nova prova, o caso será distribuído e investigado. “Nós protocolamos a denúncia e fomos conversar com o promotor e a assessoria dele. Eles pediram fotos da prova, comprovante de inscrição e outros documentos. Se eles não cancelarem a prova, eu irei entrar com uma ação na Justiça”, relatou uma das estudantes, que apontou ainda que a Unifacs e a Consultec foram “mal educados” quando os candidatos entraram em contato e não prestaram esclarecimentos sobre o ocorrido. O gabarito da prova ainda não foi divulgado pela universidade. Antes de confirmar o cancelamento, a Unifacs informou que começou a apurar o caso “tão logo tomou conhecimento da falha ocorrida na impressão de alguns cadernos que integravam o Processo Seletivo do Curso de Medicina” e que a Consultec está efetuando “uma rigorosa análise no processo de produção do material”.

O Ministério da Educação (MEC) realiza neste domingo (26/11) o Exame Nacional de Desempenho de Estudantes (Enade) 2017. Os participantes que ainda não sabem onde farão suas provas podem consultar os locais por meio do Sistema Enade. Além de fazer a prova, o participante deve preencher o questionário do estudante – até dia 26 – para obtenção da situação de regularidade no exame. O preenchimento é obrigatório.

Os portões serão abertos às 12h (horário de Brasília) e fechados às 13h. A aplicação da prova terá início às 13h30. O Enade é componente curricular obrigatório dos cursos de graduação e avalia o rendimento dos concluintes dos cursos de graduação em relação aos conteúdos, habilidades e competências adquiridas.

Neste ano, o exame será aplicado apenas para alunos concluintes, ou seja, aqueles que tenham expectativa de conclusão do curso até julho de 2018 ou que tenham cumprido 80% ou mais da carga horária mínima do currículo do curso até o final das inscrições do Enade 2017.

A cada ano, o exame avalia um grupo diferente de cursos superiores, ciclo que se repete a cada três anos. Nesta edição, o Enade vai avaliar os estudantes dos cursos que conferem diploma de bacharel nas áreas de Arquitetura e Urbanismo, Engenharia Ambiental, Engenharia Civil, Engenharia de Alimentos, Engenharia de Computação, Engenharia de Controle e Automação, Engenharia de Produção, Engenharia Elétrica, Engenharia Florestal, Engenharia Mecânica, Engenharia Química, Engenharia e Sistemas de Informação; dos cursos que conferem diploma de bacharel e licenciatura nas áreas de Ciência da Computação, Ciências Biológicas, Ciências Sociais, Filosofia, Física, Geografia, História, Letras-Português, Matemática e Química; dos cursos que conferem diploma de licenciatura nas áreas de Artes.

Foto: Reprodução / A Voz do Campo

 Um ato público nesta quinta-feira (23) marcará os 30 dias de greve dos professores de Teofilândia, na região sisaleira baiana. Por conta da paralisação, cerca de cinco mil alunos estão sem aula. Conforme os docentes, um decreto imposto pelo prefeito Tércio Nunes (PDT) causou perdas de 70,5% nos salários. "Eles andaram propagando em todos os cantos da cidade, dizendo que professor ganha mais de R$ 7 mil aqui. Eu tenho pós-graduação, carreira de 15 anos no município, e meu salário de 20 horas é de R$ 2 mil. Quem tem 44h, nunca chegou a R$ 7 mil", diz a professora Elisângela Lopes de Oliveira, da comissão de negociação, ao Bahia Notícias. Oliveira afirma ainda que não houve diminuição da verba para a educação municipal, o que justificaria algum corte no bolso dos docentes. "Não justifica. Os números mostram que não houve déficit nas receitas do Fundeb [Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação]. A questão é que houve um número exorbitante de contratos desde janeiro deste ano, em uma má administração. Só que os professores não podem pagar por isso", acrescenta. O sindicato dos professores diz que os cortes reduziram o salário base, entre 5% e 20%; e outras direitos, como o quinquênio, de 5% a 20%; a regência, em 20%; o AC [Atividade Complementar], em 7,5%, e a gratificação por deslocamento, em 3%. "O prefeito feriu a Constituição, o Plano de Carreiras do Município e a LDB [Lei de Diretrizes e Bases da Educação]”, brada a professora. O ato público desta quinta contará com caravana de docentes de outros municípios convocados pela APLB regional.

Foto: Leitor BN / WhatsApp

 Um teto de uma escola na zona rural de Piritiba, no Piemonte do Paraguaçu, veio abaixo. O fato causou um susto nos estudantes, a maioria crianças, professores e funcionários que iniciavam as atividades. Segundo informações recebidas pelo BN, um funcionário da escola abriu a porta de uma sala, quando o teto de gesso caiu. O caso ocorreu em uma escola do povoado do Sumaré. Não há registro de feridos. Na hora do incidente, as crianças ainda estavam no pátio, aguardando o momento de entrar na sala. Segundo moradores, a escola, recém-construída e inaugurada pelo ex-prefeito Ivan Cedraz, apresenta diversos problemas. Com o custo de quase R$ 1 milhão, a unidade, que foi anunciada como “modelo”, foi entregue sem a construção dos muros e sem calçamento de entrada. Logo após a queda do teto, as salas da escola foram interditadas. 

Fonte: Bahia Moticias 

 Uma professora da Universidade Federal da Bahia (Ufba) foi ameaçada de morte, recentemente, por conta do teor de pesquisas que desenvolvem dentro da instituição. Além da docente, uma aluna do mestrado também foi ameaçada dias antes da apresentação de sua dissertação.

Parte dos casos foi denunciada pelo reitor da universidade, João Carlos Salles, nesta segunda-feira (20), quando divulgou uma moção de repúdio contra os ataques, a maioria deles feita através das redes sociais.

No comunicado, o reitor se manifesta contra “a opressão diante das tentativas de cerceamento de todo um campo de produção do conhecimento científico”, a qual ele atribui a uma onda de conservadorismo no país.

“Em episódios recentes, verificamos ameaças de morte e outros tipos de violência contra uma de nossas docentes, pesquisadora do Neim; a tentativa de impedimento de defesa de uma dissertação de Mestrado de aluno do IHAC (Instituto de Humanidades, Artes e Ciências), tendo que solicitar a segurança da própria Universidade; e a perseguição e ridicularização nas redes sociais de projetos de pesquisa e extensão que versam sobre essas temáticas”, destaca o reitor, em nota.

A professora citada, que teve o nome preservado pela instituição, recebeu as ameaças por desenvolver pesquisas relacionadas à divisão sexual do trabalho. Os ataques contra ela ocorrem há cerca de um mês. Além de lecionar, a vítima é pesquisadora do Núcleo de Estudos Interdisciplinares sobre a Mulher (Neim), grupo de estudos sobre gênero e sexualidade vinculado à graduação de Ciências Sociais.

De acordo com a assessoria da Ufba, a instituição tem tomado todas as providências para garantir a segurança dos envolvidos e a realização dos eventos científicos, aumentando, inclusive, a segurança nos locais em que a professora ministra aulas.

Ação na justiça

Segundo Maíra Kubik Mano, uma das 15 pesquisadoras do Neim, as mensagens são provenientes de diversos perfis em redes sociais. Ainda não se sabe, no entanto, quem estaria por trás das publicações. Por conta da situação, o núcleo pretende mover uma ação judicial contra os ataques que a servidora vem sofrendo.

O caso está sendo acompanhado pela Procuradoria Federal junto à Ufba, que recomendou que a professora prestasse queixa na Polícia Federal. Provas estão sendo reunidas para que, posteriormente, possam ser apresentadas à polícia.

Ainda segundo Maíra Kubik Mano, os ataques têm relação com a linha de pesquisa da vítima e à onda de conservadorismo que ocorre no país. “Essas ameaças estão diretamente vinculadas à questão da legitimação dos nossos estudos de gênero. Acho que esse ataque tem relação também com o que o nosso país tem vivido, revelando um nível de ódio impressionante, algo chocante que mostra como as pessoas estão fazendo uma associação muito rasa”, considera.

Ainda de acordo com ela, as pesquisadoras que expõem os resultados de suas pesquisas em encontros e debates se tornam mais vulneráveis a esse tipo de ataque.

Fonte:Correio

 

Entrevistas
Jorge Rodrigues, organizador do pregão da Festa do Bonfim de Muritiba fala sobre suas experiências nesta celebração cultural
Mídia TV
VT - Moderna Gestão e Assessoria
Mural de Recados
Tarsila escreveu para Joseane
"Vdd eu tbm eu quero saber tbm de todas as notícias desses anos que esta acontecendo muitas coisas ai è bom saber das coisas primeiro..."
Joseane Bonfim escreveu para Anderson Bella
"Ola, tudo bem? Sou Joseane Bonfim e estou fazendo uma pesquisa sobre os blogs da região de SAJ, o Midia Reconcavo se encaixa na categoria de Blog?"
Podcast
Spot - Câmara de Cruz das Almas
Escute o Spot da Câmara de Vereadores de Cruz das Almas.