Mundo - Mídia Recôncavo
Recôncavo, Sexta , 14 de Dezembro de 2018
Enquete
Entre Aspas
Seja amor,seja muito amor. E se mesmo assim for difícil ser, Não precisa ser perfeito, Se não der pra ser amor, Que seja ao menos respeito. #CultiveORespeito
  Disse Desconhecido  
Mundo
Foto: DR

Aqueles que se lembram de ouvir na escola católica ou na igreja sobre a infalibilidade do papa podem estranhar o fato de o arcebispo Carlo Maria Viganò acusar o atual pontífice, Francisco, de saber de abusos sexuais cometidos e acobertados por padres nos Estados Unidos e nada ter feito. Se o que Viganò diz for verdade, a escolha do papa de não agir é, no mínimo, moralmente repugnante. O papa errou, então? Como fica a infalibilidade? A questão é que o dogma da infalibilidade papal não significa que, para os católicos, o papa sempre está certo em todas as suas ações nem que ele nunca erra. Nem, aliás, que o papa não possa cometer pecados. A infalibilidade deriva da ideia de que a Igreja Católica recebeu um mandato de Jesus Cristo para propagar seus ensinamentos; o papa, como "cabeça" da Igreja, é orientado pelo Espírito Santo e por isso suas declarações sobre questões de fé e moral são infalíveis, ou seja, corretas e irrevogáveis. Mas isso só se aplica a declarações solenes feitas pelo papa em algumas circunstâncias, geralmente quando ele esclarece uma questão de doutrina da igreja que foi colocada em dúvida, o que é raro. Logo, a infalibilidade não se aplica a toda e qualquer decisão ou declaração do pontífice. Por fim, o papa Francisco não fez nenhuma declaração nem tomou nenhuma decisão relacionada ao caso que é objeto da acusação de Viganò. Sua falha, se tiver existido, terá sido a de não agir. Fonte: Folhapress

Foto: Leah Millis/Reuters



O presidente norte-americano, Donald Trump, acusou nesta terça-feira (28) o Google de manipular as suas ferramentas de pesquisa para que só mostrem notícias ruins sobre ele."Os resultados da pesquisa do Google para 'Trump News' mostram somente reportagens da mídia fake news. Em outras palavras, eles manipularam, para mim e para os outros, para que todas as notícias sejam ruins. A mídia justa e conservadora está fora. Ilegal? 96% dos resultados para 'Trump News' são da mídia de esquerda, muito perigoso", tuitou o presidente. O norte-americano, que sempre polemiza usando as suas redes sociais, disse ainda que o Google está reprimindo as vozes dos conservadores e escondendo informações que são boas. "Isso é uma situação séria que será abordada", concluiu o presidente. Por outro lado, o presidente não credita as informações nem os "96%" citados a nenhuma pesquisa. Assim, os dados do seu tuíte também seriam classificados como fake news. Além disso, também nesta terça-feira (28), Trump postou no Twitter uma citação do apresentador Lou Dobbs que afirma que o presidente "é aquele que fez mais pelas minorias no país em décadas". Ainda assim, o mandatário não é bem visto nas comunidades LGBTQ+, negra, migrante, nem no movimento feminista. O comentário mais curtido de um seguidor que responde a esse tuíte aponta: "Fake News". Pouco mais tarde, o Google negou as acusações de Trump: "A busca não é utilizada para estabelecer uma agenda política e não manipulamos nossos resultados em relação à nenhuma ideologia política", disse um porta-voz da empresa. "Todos os anos, realizamos centenas de melhorias em nossos algoritmos para garantir conteúdos de alta qualidade em resposta às consultas dos usuários. Continuamos a trabalhar para melhorar a pesquisa do Google e nunca classificamos os resultados para manipular a opinião política", acrescentou. Nesta tarde, Trump voltou a elevar o tom contra os gigantes da Internet e acusou Google, Twitter e Facebook de não serem politicamente imparciais em seus conteúdos e os aconselhou a ter "cuidado". Fonte: Ansa

Foto: Agência Ecclesia

Em uma carta de 11 páginas divulgada à imprensa europeia, o ex-núncio apostólico nos Estados Unidos, Carlo Maria Viganò, de 77 anos, pediu a renúncia do Papa Franscisco, ao garantir que o pontífice sabia, desde 2013, das acusações de abuso sexual contra o cardeal Theodore McCarrick, punido em junho pelo Vaticano. No texto, o religioso, uma espécie de ex-embaixador católico nos EUA, acusou outros integrantes da Igreja Católica de formarem um “lobby gay” e acobertarem as acusações contra o cardeal americano. Viganò disse que comunicou o caso a Francisco em 23 de junho de 2013 e, mesmo assim, o papa “seguiu encobrindo McCarrick”. A carta, porém, não contém nenhum documento ou prova das acusações. Fonte: Bahia.Ba

Foto: Getty Images

Na viagem que faz à Irlanda, onde participa do Encontro Mundial da Família, o Papa Francisco pediu, em nome da Igreja Católica, perdão pelos casos de abuso sexual de crianças e adolescentes cometidos por padres. Em sua prece, o pontífice pediu à Nossa Senhora que interceda pelos sobreviventes desses abusos, e que ajude o clero na reparação de “tanta violência”.  A declaração feita hoje (26) no Santuário Mariano em Knock, o Papa voltou a citar o escândalo dos abusos ocorridos na Irlanda e agradeceu pelos “progressos ecumênicos e pelo significativo crescimento de amizade e colaboração entre as comunidades cristãs” no país. Ao pedir perdão pelo que classificou de “chaga aberta”, disse caber à Igreja ser firme e decidida na busca da verdade e da justiça. “Nenhum de nós pode deixar de se comover perante as histórias de menores que sofreram abusos, foram despojados da sua inocência ou que foram afastados das mães e abandonados à deformação de dolorosas recordações. Esta chaga aberta nos desafia a sermos firmes e decididos na busca da verdade e da justiça”, disse o Papa. “Imploro o perdão do Senhor para esses pecados, para o escândalo e a traição sentidos por muitos na família de Deus. Peço à nossa Bem-Aventurada Mãe que interceda por todas as pessoas sobrevividas aos abusos de qualquer tipo e confirme cada membro da família cristã no decidido propósito de nunca mais permitir que se verifiquem tais situações. E também de interceder por todos nós, para que possamos proceder sempre com justiça e reparar, no que depender de nós, tanta violência”, acrescentou o pontífice. A viagem do papa para o Encontro Mundial da Família acontece depois de um novo escândalo que atingiu a Igreja Católica com a publicação pela Suprema Corte da Pensilvânia, nos Estados Unidos, de um relatório que documenta 300 supostos casos de "sacerdotes predadores" sexuais nesse estado e identifica cerca de mil crianças e adolescentes como vítimas desde os anos 1940. A ferida dos abusos ainda está aberta na Irlanda, onde dezenas de padres molestaram menores e a hierarquia católica encobriu sistematicamente as denúncias para evitar o escândalo em um período compreendido entre 1975 e 2004.O papa Francisco iniciou ontem (25) uma viagem de dois dias à Irlanda, onde participará do 9º Encontro Mundial das Famílias na capital Dublin, além de também se reunir com o primeiro-ministro, o democrata-cristão Leo Varadkar, para abordar os abusos cometidos pelo clero no país, entre outros assuntos. A primeira e única visita de um papa à Irlanda até hoje foi feita por João Paulo II em 1979. Francisco, no entanto, encontrará um país diferente daquele, no qual a Igreja Católica perdeu influência e apoio pelos milhares de casos de abusos cometidos por religiosos contra menores de idade e mulheres durante décadas. Fonte: Notícias ao Minuto

Foto: Reprodução CGTN

Pelo menos 18 pessoas morreram neste sábado (25) e outras 19 ficaram feridas por conta de um incêndio ocorrido em um hotel spa na cidade de Harbin, no nordeste da China, informou a televisão estatal chinesa "CCTV". O incêndio começou às 4h36 (hora local) no hotel Beilong Hotspring Leisure por motivos que ainda são desconhecidos.Mais de 100 bombeiros trabalharam durante mais de três horas até extinguir o fogo. Fonte:R7

Foto: Reprodução

Um terremoto de 7,1 de magnitude atingiu o Peru na manhã desta sexta-feira(24). Segundo o Serviço Geológico dos Estados Unidos (USGS), o epicentro do tremor foi registrado a 250 Km da cidade de Puerto Maldonado. Ainda não há registro de vítimas. Fonte:Noticias ao Minuto

Foto: REUTERS/David Gray

O primeiro-ministro da Austrália, Malcolm Turnbull, deixou o cargo nesta sexta-feira (24), após ter sido derrubado por sua própria legenda, o conservador Partido Liberal. A queda é resultado da disputa por poder dentro do partido, que escolheu o ministro do Tesouro, Scott Morrison, como seu novo líder e, por consequência, como o novo premier do país, já que a legenda tem a maior bancada no Parlamento. O governo Turnbull entrou em crise por causa do desempenho dos conservadores nas pesquisas para as eleições de 2019, que mostram o Partido Trabalhista com ampla vantagem. A rebelião contra o agora ex-premier foi guiada pelo ex-ministro do Interior Peter Dutton, líder da ala ultraconservadora da legenda e que era tido como favorito para assumir o governo. No entanto, na votação entre os parlamentares liberais para escolher seu novo líder, o moderado Morrison, mais próximo a Turnbull, acabou vencendo Dutton por um placar de 45 a 40. Morrison, 50 anos, será o quinto premier da Austrália em pouco mais de uma década. Nesse período, nenhum político conseguiu governar por uma legislatura inteira. Turnbull, que estava no poder desde setembro de 2015, anunciou que deixará a política. Fonte: Notícias ao Minuto

Foto: Reprodução

O ex-secretário-geral da Organização das Nações Unidas (ONU) e vencedor do Prêmio Nobel da Paz, Kofi Annan, morreu neste sábado (18) aos 80 anos. Nascido em Gana, ele estava internado em um hospital na cidade de Berna, na Suíça.A fundação que leva o nome de Annan divulgou comunicado confirmando a informação. O texto diz que ele foi vítima de uma "pequena doença", sem detalhar as circunstâncias da morte. "Kofi Annan foi um estadista global e profundamente comprometido que lutou durante sua vida por um mundo mais justo e de paz", diz o comunicado.Annan foi o primeiro negro a assumir o cargo de secretário-geral da ONU. Ele permaneceu no cargo por dois mandatos, de 1997 a 2006.Fonte: Bahia Noticias  

Foto: Jim Lo Scalzo/EFE

O presidente dos Estados Unidos Donald Trump voltou a atacar os veículos de comunicação locais, após mais de 300 jornais publicarem, nesta quinta-feira (16), editoriais de maneira coordenada nos quais denunciam os ataques e ameaças reiteradas do presidente. Nos editoriais, jornais de todo o país defenderam a liberdade de imprensa e advertiram sobre o “perigo” que representa o fato de um presidente atacar de maneira repetida a imprensa. Por meio de seu perfil no Twitter, ele rebateu: “Não há nada que eu queria mais para o nosso país do que a verdadeira liberdade de imprensa. O fato é que a imprensa é livre para escrever e dizer tudo o que quiser, mas grande parte do que diz são fake news, impulsionando uma agenda política ou simplesmente tentando prejudicar pessoas”. Fonte: Bahia.Ba

Foto : Matthew Thorsen

Marcada para novembro, as eleições americanas para cargos estaduais e para o Congresso vão ter a primeira candidata transgênero a concorrer ao cargo de governadora na história do país. Christine Hallquist venceu ontem (14) a primária do Partido Democrata e busca chefiar o Executivo de Vermont. Hallquist afirma que vai fazer uma campanha pautada na melhoria da economia do estado. Para chegar ao poder, a candidata vai enfrentar o republicano Phil Scott, governador de Vermont desde 2016. Fonte: Metro 1

Entrevistas
Organizadores do “Bloco As Muriquetes” falam sobre a expectativa deste evento que vem animando os muritibanos a cada ano
Mídia TV
VT - Moderna Gestão e Assessoria
Mural de Recados
Tarsila escreveu para Joseane
"Vdd eu tbm eu quero saber tbm de todas as notícias desses anos que esta acontecendo muitas coisas ai è bom saber das coisas primeiro..."
Joseane Bonfim escreveu para Anderson Bella
"Ola, tudo bem? Sou Joseane Bonfim e estou fazendo uma pesquisa sobre os blogs da região de SAJ, o Midia Reconcavo se encaixa na categoria de Blog?"
Podcast
Spot - Câmara de Cruz das Almas
Escute o Spot da Câmara de Vereadores de Cruz das Almas.