Política - Mídia Recôncavo
Recôncavo, Terça , 16 de Outubro de 2018
Enquete
Entre Aspas
Seja amor,seja muito amor. E se mesmo assim for difícil ser, Não precisa ser perfeito, Se não der pra ser amor, Que seja ao menos respeito. #CultiveORespeito
  Disse Desconhecido  
Política
Foto: José Cruz/Agência Brasil

A candidata à Presidência da República pela Rede, Marina Silva, defendeu, neste domingo (30) que, em “hipótese alguma”, os brasileiros podem abrir mão da liberdade em troca de promessas de mais segurança. As informações são do G1. A presidenciável disse ainda que, na campanha eleitoral deste ano, há “discursos autoritários pela direita e pela esquerda” e que o Brasil “não pode cair nos extremos”. Ela chamou de extremos nesta disputa presidencial as candidaturas de Jair Bolsonaro (PSL) e Fernando Haddad (PT). Acompanhada de seu vice na chapa, Eduardo Jorge (PV), Marina fez corpo a corpo com eleitores na Avenida Paulista, em São Paulo, neste domingo. Fonte: G1

Foto: Reuters

Partidários do candidato do PSL à Presidência, Jair Bolsonaro, se reuniram neste domingo, 30, na Avenida Paulista em São Paulo um dia depois de manifestações contra o candidato terem acontecido em todas as capitais do País e do exterior. Militantes e candidatos fizeram um apelo para eleitores de João Amoêdo (Novo), Alvaro Dias (Podemos), Geraldo Alckmin (PSDB) e Henrique Meirelles (MDB) se unirem em torno do capitão, na esperança de uma vitória no primeiro turno. Em discurso aos manifestantes, o deputado Eduardo Bolsonaro (PSL), e o candidato ao Senado Major Olimpio (PSL) criticaram o PT. A PM não divulgou estimativa de público na manifestação, que ocupou três quarteirões da Avenida Paulista. Olímpio disse que se a candidatura de Bolsonaro crescer "mais um Alckminzinho" - cinco ou seis pontos porcentuais nas pesquisas - seria possível vencer a eleição ainda no primeiro turno. Em áudio, gravado no Rio de Janeiro, e divulgado durante a manifestação, Eduardo Bolsonaro repetiu o mantra. "Vamos ganhar essas eleições no primeiro turno. A diferença será tão grande que não será possível qualquer possibilidade de fraude. Chega de PT e de PSDB" No caminhão de som, militantes ressaltam a participação feminina no evento - dizendo que as mulheres são mães, amigas, que cuidam da casa, dos homens e da família. Eduardo Bolsonaro falou às mulheres que apoiam seu pai. "As mulheres de direita são mais bonitas que as da esquerda. Elas não mostram os peitos nas ruas nem defecam nas ruas. As mulheres de direita têm mais higiene", disse o deputado, que ainda criticou o autor do atentado contra Bolsonaro, Adélio Bispo de Oliveira. "Meu pai não tomou uma facada por alguém que queria tomar a carteira dele. Eles estão com medo", concluiu. Eduardo Bolsonaro também falou sobre a hipótese de vitória de Fernando Haddad (PT). "Ele dará indulto para o Lula no dia seguinte". Além disso, afirmou que se o pai for eleito, o ex-presidente Lula não terá privilégios. Ele irá cumprir pena em um presídio comum". Os discursos mantiveram a narrativa que tem acompanhado a campanha de Bolsonaro desde o primeiro dia. Gritos contra o PT, Lula, Venezuela e artistas que, segundo os partidários de Bolsonaro, vivem do dinheiro da Lei Rouanet. A primeira a se pronunciar no carro de som foi a candidata a deputada federal pelo PSL, Carla Zambelli. "A nossa manifestação é verde e amarela. Nossa manifestação tem bandeira do Brasil e não de partidos. Somos movidos pelo amor por uma pessoa que vai mudar o país. Finalmente teremos paz com Jair Bolsonaro na Presidência. Ele é o único presidente que irá fortalecer a Polícia Federal. É a primeira vez em décadas que temos um presidente que fala de Deus com lágrimas nos olhos. O nosso estado é laico mas não é ateu", afirmou. Em seguida, a candidata iniciou uma oração, finalizada por "ele sim" pelos manifestantes presentes.  Entre os simpatizantes, a certeza de que um resultado diferente da vitória de Bolsonaro será resultado de uma fraude eleitoral. "Se o Bolsonaro não ganhar, vai ser roubado. Não vamos sair da rua se isso acontecer", disse a empresária Helena Dias. Já no fim da manifestação, uma forte chuva fez com que um grupo de manifestantes se abrigasse no vão livre do Masp. Lá, onde até pouco antes acontecia uma feira de artesanato, um grupo de jovens gritava "ele não" e palavras de ordem contra Bolsonaro. Os grupos se encontram no Masp. À princípio, os grupos se enfrentaram verbalmente, mas, antes que a PM pudesse interferir, alguns militantes trocaram socos e pontapés. A PM precisou "escoltar" um grupo que se posicionava contra Bolsonaro para fora do vão livre. Policiais afirmaram que não houve detenção. Durante a manifestação pelo menos dois profissionais de imprensa foram agredidos com cabeçadas e empurrões enquanto tentavam filmar uma discussão entre militantes pró-Bolsonaro e pessoas que passavam pela Paulista. Interior de SP: Mais cedo, atos favoráveis ao candidato do PSL ocorreram em pelo menos dez cidades do interior de São Paulo. No sábado, as manifestações contra Bolsonaro organizadas por grupos de mulheres, alcançaram ao menos doze cidades do interior. Em Campinas, o ato deste domingo contou com a presença do filho do candidato, Eduardo Bolsonaro, deputado federal pelo PSL. Os manifestantes - cerca de 3 mil pessoas, segundo a Polícia Militar -, se concentraram no Largo do Rosário, na região central, e caminharam até a Praça Arautos da Paz, com apoio de carro de som. Em Araçatuba, cerca de 2 mil veículos, segundo a Polícia Militar, participaram de carreata em favor de Bolsonaro. Os manifestantes fizeram um buzinaço na Avenida dos Araçás. Vários veículos levavam a bandeira do Brasil. Um grande número de mulheres participou do ato. Em Bauru, muitos apoiadores de Bolsonaro vestiram verde e amarelo. A concentração, na Praça da Paz, reuniu cerca de 2 mil pessoas, segundo os organizadores - a PM não estimou o público. Em São José dos Campos, simpatizantes do candidato do PSL realizaram um ato de apoio na Praça Afonso Pena. Eles calcularam o público em mais de duas mil pessoas, mas a PM não fez estimativa. Em seguida, os manifestantes percorreram em carreata as ruas da cidade. Houve carreata também em São Carlos, com cerca de 4 mil veículos, segundo a organização. Em Jales, uma carreata reuniu mais de mil veículos de apoiadores, segundo a organização. A PM não contabilizou. Em Jundiaí, um carro de som abriu a carreata, a partir do Parque da Uva. Houve desfiles de veículos em apoio a Bolsonaro também em São Manoel, Ipiguá e Botucatu. Em Sorocaba, cerca de 600 manifestantes realizaram ato em favor do candidato em frente ao Palácio dos Tropeiros, sede da prefeitura. Belo Horizonte: Depois da manifestação que levou milhares de pessoas ao centro de Belo Horizonte, um ato de apoio ao candidato a Presidência do PSL, Jair Bolsonaro, realizado na orla da Lagoa da Pampulha, ponto turístico da cidade, teve hino das forças armadas, comemoração pela saída do deputado federal do hospital e oração. A manifestação começou com diversas críticas ao movimento "Ele Não". Muitas mulheres estiveram presente no ato favorável ao candidato e cantaram que "mulher vota em Bolsonaro". No entanto, a organização do evento negou que fosse uma resposta a manifestação. "Estamos aqui por Bolsonaro para que ele vença em primeiro turno" disse uma das organizadoras, Gleine Carvalho, que afirmou que o ato não teve qualquer influência partidária. Gleine ainda fez críticas ao movimento "Ele Não". "Eu não sou adepto dessas questões de modinha. O 'ele não foi criado pela classe artística para defender os benefícios deles. Quando vemos o povo aqui, vemos que o 'ele sim está muito forte'", disse. Fonte: Notícias ao Minuto

Foto: Arquivo Pessoal/Twitter

A Polícia Federal apreendeu material eleitoral considerado ilícito nesta sexta-feira (28), após cumprir dois mandados de busca e apreensão na sede do Partido dos Trabalhadores em Vitória da Conquista, sudoeste de Bahia. A quantidade e o conteúdo do material não foram divulgados, mas pertenciam aos candidatos a deputado federal Waldenor Pereira e do estadual, José Raimundo, de acordo com o G1. Os dois petistas foram levados para a sede da Polícia Federal na cidade. Fonte: G1

Foto: Roberto Viana/Arquivo/BNews

O presidenciável Ciro Gomes (PDT) afirmou nesta sexta-feira (28) que o PT se transformou em uma "organização odienta de poder".  Em entrevista à Rádio Guaíba, do Rio Grande do Sul, ele descartou se aliar ao partido em eventual segundo turno. "O PT contou comigo ao longo dos últimos 16 anos. Na medida em que eles se juntam com o Renan Calheiros, que presidiu o Senado no impeachment que eles chamam de golpe, que estão juntos no Ceará com o Eunício Oliveira, não é mais possível, para mim, andar com eles na política", declarou. A fala de Ciro vem depois de seguidas sinalizações de Fernando Haddad por uma composição no segundo turno. Na entrevista, o pedetista reiterou na entrevista que tem respeito pelo "amigo Haddad", mas que o PT "tem feito muito mal ao Brasil de um tempo para cá". "A Manuela d’Ávila (vice de Haddad) foi alvo de chantagem vergonhosa da burocracia do PT. Ela foi brutalmente retirada da disputa política para ser a vice. E ela estava cumprindo um papel muito bonito na pré-campanha", assinalou Ciro. Fonte: Bocão News

Foto: Vagner Souza/BNews

O ex-governador de São Paulo e candidato à presidência da República, Geraldo Alckmin (PSDB), voltou a defender, na manhã desta sexta-feira (28), uma reforma política que reduza o número de partidos existentes no Brasil. “Meu partido está fragilizado. Há 35 partidos e não tem nenhum forte, todos estão fragilizados. É preciso autocrítica. Até gostei da autocrítica do Tasso [Jereissati]. E a reforma política é inadiável. Precisamos agir nas causas, porque a política brasileira faliu. O modelo está exaurido. Defendo menos partidos, voto facultativo e voto distrital misto”, disse o tucano, em entrevista à rádio Metrópole. A coligação de Alckmin é formada por nove partidos, incluindo sua própria legenda, o PSDB. Também fazem parte do grupo o DEM, PRB, SD, PTB, PP, PSD, PR e PPS. Fonte: Bocão News

Foto: Divulgação

O ator Alexandre Frota foi condenado a pagar R$ 20 mil em indenizações a Gilberto Gil pela Justiça do Rio. Em 2017 o ator tuitou que o cantor “não poderia mais roubar livremente recursos oriundos da Lei Rouanet” e foi processado por danos morais. A juíza Rafaella Ávila de Souza Tuffy Felipe, da 50ª Vara Cível do Rio de Janeiro, escreveu que a acusação “extrapola o livre direito de informação” ao veicular afirmações desprovidas de qualquer prova, “causando danos à imagem e à honra” de Gil. O Twitter foi isentado do processo pois no entendimento da juíza os usuários da plataforma são “cientificados de forma clara e ostensiva por meio de diferentes cláusulas dos Termos de Serviço” sobre a responsabilidade sobre o conteúdo que postam na rede social. Fonte: Bahia.Ba

Foto: Reprodução/SBT

Em crescimento nas últimas pesquisas de intenção de voto, o candidato petista Fernando Haddad tornou-se o principal alvo de debate promovido por Folha, UOL e SBT nesta quarta-feira (26). Seus concorrentes Marina Silva (Rede) e Ciro Gomes (PDT) investiram incisivamente contra Haddad. Em pesquisa CNI-Ibope divulgada nesta quarta-feira (26), Jair Bolsonaro (PSL) segue como líder nas intenções de voto, com 27%, seguido do petista, com 21%. Além deles, compareceram Geraldo Alckmin (PSDB), Cabo Daciolo, Henrique Meirelles, Alvaro Dias e Guilherme Boulos. Bolsonaro recupera-se no hospital Albert Einstein, em São Paulo, após ter recebido facada em ato de campanha no início do mês. No primeiro bloco do debate, em que os candidatos fizeram perguntas entre si, a interação entre Haddad e Marina foi o grande ponto de tensão. Ao questionar Marina sobre a revogação ou não da PEC do teto de gastos e a reforma trabalhista, Haddad ouviu que o Brasil está no "fundo do poço" em função da "corrupção de PT, MDB e PSDB". Segundo a candidata, o plano dela seria recuperar a credibilidade do país desgastada pelo PT com auxílio de Michel Temer (MDB), que tornou-se uma espécie de "batata quente" dos candidatos, um atribuindo proximidade com o presidente ao outro. "Quem botou o Temer lá foram vocês. O Temer traiu a Dilma e não conseguiria chegar lá sem a ajuda de vocês", disse Haddad, referindo-se ao apoio de Marina ao impeachment da ex-presidente."Não defendo terceirização de atividade-meio nem o teto feito pelo Temer. Engraçado você falar de impeachment depois de pedir bênção ao Renan Calheiros (MDB), que apoiou o impeachment. São dois pesos e duas medidas. O PT faz o discurso dos trabalhadores e leva o país ao buraco com o Temer", disse Marina, que foi congratulada por Ciro Gomes após a resposta. Ciro participou do debate com uma sonda após ter passado por cirurgia de cauterização de áreas hemorrágicas na próstata nesta terça-feira (25). No bloco seguinte, em que os candidatos responderam a questões de jornalistas, foi a vez do pedetista trocar farpas com Haddad. Perguntado sobre a maneira que comporia seu governo se fosse eleito, Ciro disse que "se puder governar sem o PT, eu prefiro". Ele disse reconhecer os méritos das gestões passadas do PT, mas disse que o partido ajudou a criar uma "estrutura de poder odienta, que criou essa figura horrorosa que é o Bolsonaro". Ciro disse que sabe dialogar e pode acabar com a contradição entre PT e Bolsonaro "que está levando o país para a violência". Pouco depois, Haddad referiu-se à fala de Ciro de maneira irônica ao dizer que fora convidado pelo concorrente para ser vice de sua chapa, que então teria chamado a dupla de "dream team". Álvaro Dias também escolheu a trilha do antipetismo como estratégia no debate. Chamando o partido de "organização criminosa", falou em "trilha de sangue" deixada por gestões petistas, referindo-se aos assassinatos de Celso Daniel e Toninho do PT, ex-prefeitos de Santo André e de Campinas, respectivamente. "Sempre fui contestador, sempre combati esse sistema corrupto, estou nessa campanha para impedir a volta de uma organização criminosa", disse. Cobrado também por sua proximidade com Lula, Haddad seguiu estratégia desenhada pelo ex-presidente de enfatizar a geração de empregos em seus discursos. Além disso, o petista também tentou destacar números de sua passagem como ministro da Educação dos governos Lula e Dilma. "Vamos fazer o Brasil feliz de novo com estas duas palavras magicas: educação e emprego", resumiu Haddad na reta final de sua participação. Líder nas pesquisas de intenção de voto, o ausente Bolsonaro foi lembrado apenas pontualmente. Além da citação de Ciro, outra menção relevante foi feita por Boulos, que relembrou de episódio em que o capitão reformado do Exército defendeu o direito de empresários pagarem menos a mulheres do que a homens. Alckmin, que tenta subir nas pesquisas e ocupar o lugar do candidato do PSL, evitou citar o nome de Bolsonaro, chamando-o de “candidato da discriminação”. Fonte: Bocão News

Foto : Reprodução/TSE

Candidato a deputado federal na Bahia, o jornalista Paulo Martins está na lista dos aspirantes a cargos públicos que doaram para a própria campanha na eleição deste ano.O inusitado, no entanto, é que o candidato do PHS doou apenas R$ 0,01 para a sua empreitada no pleito – o recorde negativo de autodoação, conforme o site DivulgaCand do TSE. O recurso ainda não foi gasto.O presidenciável Henrique Meirelles (MDB) é o campeão da lista. Até esta quarta-feira (26), o emedebista já tinha destinado R$ 45 milhões a si próprio.Sobre o candidato – Paulo Martins já tinha tentado uma cadeira na Assembleia Legislativa em 2006. Dois anos antes, postulou a vice-prefeitura do município de Souto Soares. Em ambas as campanhas, não obteve êxito.Fonte:Metro 1

 

Foto: Reprodução

Parte da população de Pilão Arcado, Formosa do Rio Preto, Itamaraju e Sento Sé terá um uma forma pouco usual de participar da eleição deste ano. Comunidades isoladas desses municípios terão seus votos transmitidos via satélite na eleição que acontece daqui menos de duas semanas. Ao todo, 11 localidades na Bahia serão assistidas por essa tecnologia, que também vai ser usada em outros estados do país.A transmissão via satélite serve para que o voto de localidades isoladas seja computado mais rapidamente e será colocado em prática em áreas sem infraestrutura de telecomunicações e com dificuldade de acesso a energia elétrica. Em geral, aldeias indígenas, comunidades ribeirinhas e quilombolas devem ser beneficiadas para que para que seus votos cheguem aos Tribunais Regionais Eleitorais sem atraso.De acordo com informações passadas pela assessoria de comunicação do Tribunal Regional Eleitoral da Bahia (TRE-BA) ao Bahia Notícias, a maioria das localidades com transmissão de votos via satélite fica localizada nas cidades de Pilão Arcado e Sento Sé. Formosa do Rio Preto e Itamaraju têm apenas uma localidade cada com essa tecnologia à disposição. Confira abaixo quais localidades terão a transmissão via satélite:

Pilão Arcado:
Povoado Cacimbinha
Povoado Queimadas
Povoado Mandarino
Povoado Lagoa Grande
Povoado Nova Holanda
Povoado Lagoa do Padre

Sento Sé:
Povoado de Minas de Mimoso
Cajuí
Piçarrão
Amaniú
Jucuruçu
Povoado de Minas de Mimoso

Formosa do Rio Preto:
Povoado Cacimbinha

Itamaraju:
Jucuruçu

Fonte:Bahia Noticias

 

Foto: Rodrigo Daniel Silva/ bahia.ba

O senador Otto Alencar (PSD) não tem aparecido frequentemente ao lado do governador e candidato à reeleição, Rui Costa (PT), nas viagens da caravana da chapa governista ao Palácio de Ondina. Mas, o motivo é simples: ele tem concentrado suas atividades no interior do estado em busca de votos não só para Rui, como para seu afilhado político, o candidato ao Senado, Angelo Coronel (PSD), além do ex-governador Jaques Wagner (PT).Enquanto Rui viaja por algumas cidades, Otto e alguns deputados estão nas regiões onde se concentram seus redutos eleitorais. A estratégia tem sido avaliada como “extremamente positiva” pela base, já que o governador lidera a disputa contra José Ronaldo (DEM) com ampla vantagem.Além de atuar em seus redutos eleitorais, como a região da Chapada Diamantina, Otto também tem se reunido constantemente com prefeitos do PSD e reforçado a importância de eleger a chapa completa. De quebra, ainda faz campanha para seu filho, o candidato a deputado federal Otto Filho (PSD).A força de Otto é também uma das apostas do presidente da Assembleia, Angelo Coronel, que começou atrás de Irmão Lázaro (PSC) nas pesquisas de intenções de votos, mas já aparece empatado com o adversário no levanatamento feito pelo Instituto Real Big Data.Fonte:bahia.ba 

Entrevistas
Organizadores do “Bloco As Muriquetes” falam sobre a expectativa deste evento que vem animando os muritibanos a cada ano
Mídia TV
VT - Moderna Gestão e Assessoria
Mural de Recados
Tarsila escreveu para Joseane
"Vdd eu tbm eu quero saber tbm de todas as notícias desses anos que esta acontecendo muitas coisas ai è bom saber das coisas primeiro..."
Joseane Bonfim escreveu para Anderson Bella
"Ola, tudo bem? Sou Joseane Bonfim e estou fazendo uma pesquisa sobre os blogs da região de SAJ, o Midia Reconcavo se encaixa na categoria de Blog?"
Podcast
Spot - Câmara de Cruz das Almas
Escute o Spot da Câmara de Vereadores de Cruz das Almas.