Política - Mídia Recôncavo
Recôncavo, Quinta , 21 de Fevereiro de 2019
Enquete
Entre Aspas
Seja amor,seja muito amor. E se mesmo assim for difícil ser, Não precisa ser perfeito, Se não der pra ser amor, Que seja ao menos respeito. #CultiveORespeito
  Disse Desconhecido  
Política
Foto: Reprodução

Entre os 70 deputados estaduais eleitos pelo Rio de Janeiro, 16 são suspeitos, réus ou até condenados por crimes como corrupção, organização criminosa, compra de votos, falsidade ideológica e peculato. Os números foram levantados pelo portal G1. Entre eles estão Anderson Alexandre (Solidariedade), André Corrêa (DEM), Chiquinho da Mangueira (PSC), Luiz Martins (PDT), Marcos Abrahão (Avante) e Marcus Vinicius Neskau (PTB), todos presos. O primeiro é suspeito de organização criminosa e injúria. Os outros cinco teriam, segundo o Ministério Público, recebido propinas mensais para votar de acordo com o interesse do governo de Sérgio Cabral, esquema que ficou conhecido como "mensalinho da Alerj". Eles não foram empossados e caberá à Mesa Diretora da Casa decidir. Além dos nomes já citados, André Ceciliano (PT), Renato Cozzolino (PR), Chico Machado (PSD), Dr. Deodalto (DEM), Marcio Canella (MDB), Vandro Família (Solidariedade), Thiago Pampolha (PDT), Lucinha (PSDB), Rosenverg Reis (MDB) e Dr. Serginho (PSL) também são alvos de algum tipo de investigação. Todos negam irregularidades. Fonte: Notícias ao Minuto

Foto: Reprodução/Arquivo Pessoal

O presidente Jair Bolsonaro exonerou Marcelo Álvaro Antônio (PSL-MG) do cargo de ministro do Turismo. O decreto foi publicado na edição desta quarta-feira (6) do Diário Oficial da União. De acordo com a assessoria do ministro, ele foi exonerado da pasta para poder tomar posse no cargo de deputado. Antônio é um dos quatro ministros de Bolsonaro que também é deputado e o único que ainda não havia sido exonerado pelo presidente para tomar posse no mandato de parlamentar. Ele também é o único dos 513 deputados eleitos em 2018 que não compareceu à cerimônia de posse no dia 1º deste mês. Os outros três ministros – Onyx Lorenzoni (DEM-RS), da Casa Civil; Tereza Cristina (DEM-MS), da Agricultura; Osmar Terra (MDB-RS), da Cidadania – foram exonerados para tomar posse e já foram nomeados novamente. Fonte: bahia.ba

Foto: © Marcos Oliveira/Agência Senado

Depois de mais de oito horas de sessão, no último sábado (2), os senadores adiaram para a próxima semana a escolha do restante dos cargos da Mesa. Na ocasião, o senador Davi Alcolumbre (DEM-AP) foi eleito para comandar o Senado, pelos próximos dois anos. Os cargos de primeiro e segundo vice-presidente, além de quatro secretários e quatro suplentes, serão eleitos na terceira reunião da Casa, nesta quarta-feira (6), às 15h. O mandato dos novos ocupantes também será de dois anos. As atribuições da Mesa do Senado estão previstas na Constituição Federal e no Regimento Interno do Senado. Na ausência do presidente, cabe ao primeiro e ao segundo-vice-presidentes da Mesa substituí-lo, nessa ordem. Ao primeiro-secretário compete rubricar a listagem especial com o resultado da votação realizada através do sistema eletrônico, realizar a leitura em Plenário da correspondência oficial recebida pelo Senado e de todos os documentos que façam parte do expediente da sessão. Além disso, ele assina e recebe a correspondência do Senado e é responsável pela supervisão das atividades administrativas da Casa, entre outras competências.

Foto: Reprodução / EBC

O governo pretende criar um mutirão em parceria com o Tribunal de Contas da União (TCU) para zerar os problemas com as obras e as concessões que se arrastam desde gestões anteriores. Segundo o ministro da Infraestrutura, Tarcísio Freitas, a estratégia conta com apoio do Ministério da Economia. O próprio ministro Paulo Guedes participou de encontros no órgão na semana passada para tratar do tema. O objetivo do ministério da Infraestrutura é corrigir falhas que represam ao menos R$ 100 bilhões em investimentos. Há entraves em obras da Copa, concessões de rodovias, ferrovias, aeroportos e portos herdados da gestão petista, segundo a Folha de S. Paulo. A avaliação interna é que se o governo destravar essas obras, vai acelerar a retomada do crescimento e se fortalecer ainda mais politicamente. As maiores complicações estão nas rodovias e ferrovias concedidas pelos ex-presidentes Lula e Dilma Rousseff. Fonte: Bahia Notícias

Foto: Waldemir Barreto/ Agência Senado

O novo presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), declarou que considera a reforma da Previdência fundamental e que está de portas abertas para receber o ministro Paulo Guedes, da Economia. Para ele, é preciso “tocar com celeridade” as propostas enviadas pelo governo do presidente Jair Bolsonaro. “Não tenho dúvida que a prioridade será votarmos a reforma da Previdência”, afirmou. “O governo vai enviar sua pauta e vão ser feitas avaliações pelas comissões pertinentes”, completou, em entrevista à imprensa. O Senado teve uma votação para presidente conturbada. Na madrugada, o Supremo Tribunal Federal (STF) determinou que a votação fosse secreta e não aberta, como a maioria dos senadores tinha votado anteriormente. No entanto, boa parte dos senadores revelou o voto durante o pleito, inclusive mostrando as cédulas para as câmeras. Os parlamentares da Bahia optaram por não fazer a revelação. Fonte: bahia.ba

Foto: Reprodução / EBC

O senador Renan Calheiros (MDB) retirou candidatura à presidência do Senado durante eleição neste sábado (2). A primeira tentativa de votação na Casa registrou fraude com 82 votos na urna mesmo na presença de 81 senadores. Com a possibilidade de fraude, uma nova eleição se iniciou, causando discussões no Senado. "Não vou me submeter", bradou Renan ao afirmar que ali se configurava uma tentativa de dar a vitória a Davi Alcolumbre (DEM). O ministro Dias Toffoli, do Supremo Tribunal Federal (STF), determinou na madrugada deste sábado (2) que a eleição fosse feita por meio de votação secreta, a pedido do Solidariedade e do MDB (saiba mais aqui). No plenário, o Senado aprovou votação aberta na sexta-feira (2), o que segundo os bastidores prejudicaria a eleição de Calheiros.

A decisão de votação aberta foi aprovada em sessão comandada por Davi Alcolumbre (DEM), também candidato, o que causou questionamentos de apoiadores de Renan. “Eu não sou o Jean Wyllys. Eu não vou renunciar ao meu mandato, mas o Brasil é testemunha do que desde ontem acontece nesta Casa. Se eles podem tudo, não serei eu o cavalo do cão”, disse Renan ao fazer o seu anúncio de que iria se retirar da eleição. Com a ação, o senador Angelo Coronel (PSD) foi até a mesa e pediu votos que iriam para o emedebista. Os senadores discutem agora se um terceiro processo de eleição deve ser feito. Fonte: Bahia Notícias

Foto: Isto é

O presidente do Superior Tribunal de Justiça (STJ), ministro João Otávio de Noronha, decidiu na noite desta quinta-feira, 31, mandar soltar o ex-governador do Paraná Beto Richa (PSDB), que estava detido desde 25 de janeiro. Para Noronha, a prisão do ex-governador é "precipitada", motivada por atos supostamente praticados nos anos de 2011 e 2012. "Os fatos remontam há mais de sete anos e, além disso, a realidade é outra, houve renúncia ao cargo eletivo, submissão a novo pleito eleitoral e derrota nas eleições. Ou seja, o que poderia justificar a manutenção da ordem pública - fatos recentes e poder de dissuasão - não se faz, efetivamente, presente", observou o presidente do STJ. O tucano deixou o governo do Paraná em abril do ano passado para disputar o Senado, mas não foi eleito. Na mesma decisão, que também mandou soltar José Richa Filho, irmão do ex-governador, Noronha determinou a expedição da ordem de salvo-conduto de ambos "para que não sejam presos cautelarmente no âmbito da Operação Integração II, exceto se demonstrada, concretamente, a presença de algum dos fundamentos admitidos pela legislação processual em vigor para sua decretação".

Foto: Charles Sholl / Futura Press

O ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, decidiu encaminhar as novas denúncias feitas pelo deputado federal Jean Wyllys (PSOL-RJ) para a Polícia Federal. A informação é da colunista Mônica Bergamo, do jornal Folha de São Paulo.  O parlamentar baiano enviou a Moro documentos que mostram que as ameaças de morte contra ele e a família seguem sendo feitas, mesmo depois de anunciar a decisão de abrir mão de seu mandato e sair do Brasil.  Por meio de sua assessoria, o parlamentar afirmou que recebeu duas mensagens, no sábado (26) e na segunda (28), em seu email institucional.  Wyllys pediu a Moro que, "dada a gravidade das mensagens, especialmente consideradas em um contexto onde o parlamentar se viu obrigado a sair do Brasil para preservar a própria integridade física", seja efetivada "a imediata apuração desses e dos demais episódios e ameaças a que o deputado Jean Wyllys vem sendo violentamente submetido". Fonte: Bocão News

Foto: Vaner Casaes / Alba

O senador eleito Angelo Coronel (PSD-BA) afirmou que uma de suas propostas, caso seja eleito presidente do Senado, é escalar uma equipe de “ministros paralelos”, senadores que fariam um contraponto à equipe de Jair Bolsonaro (PSL). “Poderíamos eleger o Renan Calheiros [MDB-AL] como o ministro paralelo da Justiça. O Renan é um regimentalista, entende muito de leis, já foi ministro da Justiça. Vai ser uma pessoa com saber notório para discutir com Sergio Moro. Se o Moro apresentar algo que não seja a contento, o Renan pode mandar uma ideia propositiva para ele. Vai ser um bom debate”, declarou Coronel em entrevista à Folha de S. Paulo. “Não é fazer oposição. É debater. Muitas vezes você traz o assunto para as comissões temáticas e o presidente da comissão fica sendo um mediador dos debates. Quando você cria a figura do ministro paralelo, ele faz as operações propositivas pontuais, vai trabalhar efetivamente naquelas pautas que o ministério está colocando para a sociedade. Não é uma prática no presidencialismo. Mas, do jeito que estamos hoje, acho que ela se adequa”, disse o ainda presidente da Assembleia Legislativa —a legislatura 2019/2022 começará em 4 de fevereiro. Fonte: bahia.ba

Foto: © Isac Nóbrega/PR

Após sete horas de cirurgia, o presidente Jair Bolsonaro (PSL) teve a bolsa de colostomia retirada nesta segunda-feira, 28, e o trânsito intestinal finalmente reconstruído quase cinco meses após ser atingido por uma facada. Segundo boletim médico divulgado no fim da tarde pelo Hospital Israelita Albert Einstein, a operação ocorreu sem complicações e, após a cirurgia, o presidente foi encaminhado para a UTI do hospital onde, até a noite desta segunda, seguia em condição estável, consciente e sem dor.  Uma hora depois de concluída a cirurgia, o presidente manifestou em seu Twitter que estava bem. Postou três emojis: um com a bandeira do Brasil, outro com uma mão fazendo sinal de positivo e um terceiro com duas mãos juntas agradecendo. A operação, iniciada às 8h30 e concluída às 15h30, durou o dobro do previsto por causa de inúmeras aderências intestinais encontradas no abdome do presidente. A condição, decorrente das duas cirurgias anteriores, ocorre quando tecidos de cicatrização das alças do intestino "grudam" em outras partes do órgão, o que pode levar à obstrução intestinal. Segundo o porta-voz da Presidência da República, Otávio Rêgo Barros, a quantidade de aderências exigiu que os cirurgiões fizessem "uma verdadeira obra de arte" para poder remover todas elas e reparar o intestino de Bolsonaro. "A cirurgia foi conduzida de uma forma muito especial, muito cuidadosa, devido à quantidade muito grande de aderências", afirmou o porta-voz, em coletiva de imprensa no Hospital Albert Einstein, horas depois da cirurgia. Durante a cirurgia, foi necessária a retirada de uma parte do intestino grosso chamada de cólon ascendente ou direito. "Foi removido por segurança", disse o cirurgião chefe da equipe, Antônio Luiz Macedo. Com extensão de 15 a 20 centímetros, o cólon ascendente era a parte do intestino que havia sido exteriorizada até a parede abdominal para a saída de fezes até a bolsa coletora. Com a retirada dessa parte, a costura interna feita para restabelecer o trânsito intestinal foi feita entre o íleo e o cólon transverso.

Entrevistas
Organizadores do “Bloco As Muriquetes” falam sobre a expectativa deste evento que vem animando os muritibanos a cada ano
Mídia TV
VT - Moderna Gestão e Assessoria
Mural de Recados
Tarsila escreveu para Joseane
"Vdd eu tbm eu quero saber tbm de todas as notícias desses anos que esta acontecendo muitas coisas ai è bom saber das coisas primeiro..."
Joseane Bonfim escreveu para Anderson Bella
"Ola, tudo bem? Sou Joseane Bonfim e estou fazendo uma pesquisa sobre os blogs da região de SAJ, o Midia Reconcavo se encaixa na categoria de Blog?"
Podcast
Spot - Câmara de Cruz das Almas
Escute o Spot da Câmara de Vereadores de Cruz das Almas.