Política - Mídia Recôncavo
Recôncavo, Sexta , 17 de Agosto de 2018
Enquete
Entre Aspas
Seja amor,seja muito amor. E se mesmo assim for difícil ser, Não precisa ser perfeito, Se não der pra ser amor, Que seja ao menos respeito. #CultiveORespeito
  Disse Desconhecido  
Política
Foto: Reprodução

Aliados do candidato à Presidência Geraldo Alckmin (PSDB), já começaram a traçar estratégias para tentar retomar eleitorado que já foi dele e hoje simpatiza com Jair Bolsonaro (PSL). De acordo com a coluna Painel, da Folha de S. Paulo, a ofensiva deve começar no terreno menos acidentado: o interior de São Paulo, reduto do tucano há anos. A publicação afirma que reconquistar a região, de perfil conservador e muito ligada ao agronegócio, é visto como o primeiro passo para fortalecer o tucano nas pesquisas. A vice do ex-governador, Ana Amélia (PP), também será usada para ganhar o coração dos ruralistas. Ela vai representar a chapa em eventos aos quais ele não possa comparecer, especialmente no Centro-Oeste e no Sul. Fonte: Forte na Notícia

Marlene Bergamo/Folhapress

Uma medição em tempo real no Twitter durante o debate da Band, realizado na noite de quinta-feira(9), mostra que 10% de todas as publicações que citaram os presidenciáveis foram feitas por robôs ou perfis falsos. A informação é do jornal O Globo com base nos dados compilados pela AP/Exata, empresa especializada em análise de big data. No total, foram analisadas quase 148 mil postagens. De acordo com o levantamento, o uso dos perfis automatizados — estratégia já conhecida na manipulação do debate político nas redes sociais — teve como principal vítima Marina Silva (Rede). Dos 12.762 tuítes sobre a ex-senadora, 16,84% foram publicados por esse tipo de conta. Segundo Sergio Denicoli, diretor da AP/Exata e pós-doutor em comunicação digital, no caso de Marina a ação dos bots foi provavelmente um ataque. "Em relação aos perfis falsos e robôs, ela foi proporcionalmente a mais visada. Começaram a postar memes depreciativos, numa tentativa de desconstruir a candidata. Em sondagens anteriores já tínhamos visto que a atuação de robôs a favor de Marina é quase zero", explica Denicoli. Fonte: Bocão News

Foto: Rovena Rosa/Agência Brasil/Arquivo

O candidato ao governo do Estado de São Paulo pelo MDB, Paulo Skaf, avalia que o modelo de debates na televisão entre candidatos postulantes a cargos do Executivo está defasado. Em conversa com a Agência Estado em restaurante na região da Avenida Paulista, ele disse que o número grande de participantes acaba interferindo na dinâmica da apresentação das propostas. E a fórmula acaba sendo cansativa quando os debates se sucedem em várias emissoras até próximo da data do pleito. Para ele, um pool de TVs deveria realizar um único encontro, o que seria mais proveitoso. Skaf e os outros candidatos a governador de São Paulo nas Eleições 2018 participarão do primeiro debate político na televisão realizado pela Band na próxima quinta-feira, 16 de agosto, a partir das 22 horas. O emedebista afirmou não ter assistido a todo o debate entre candidatos à Presidência da República, na última quinta-feira, 9, na TV Band, mas gostou da participação do candidato de seu partido, Henrique Meirelles. "Dos pontos que assisti, Meirelles foi muito bem", disse. Na última pesquisa divulgada para a corrida ao Palácio dos Bandeirantes, da CNT/MDA, divulgada na quarta-feira 8, Skaf aparece empatado com o candidato do PSDB ao governo de São Paulo, João Doria. O tucano tem 16,4% e o emedebista, 16,2%. Os dois se enfrentam em um primeiro debate televisivo na próxima quinta-feira (16), na Band. A pesquisa da CNT (Confederação Nacional do Transporte), em parceria com a MDA, sobre intenções de voto para governador e senador em São Paulo, além de presidente da República, está registrada no TSE sob o número SP-04729/2018. Fonte: Notícias ao Minuto

Foto: Reprodução

Câmara dos Deputados gasta mais de meio milhão de reais por ano para lavar 83 carros da frota oficial (seis próprios e 77 alugados), segundo levantamento divulgado pela coluna do Estadão.Os veículos atendem deputados federais com cargos de direção e de outros departamentos e a empresa contratada, Adjel Serviços, para realizar os serviços mantém 11 funcionários exclusivos para a a finalidade.O valor embolsado chegou a R$ 602 mil, mas um aditivo contratual baixou o valor para R$ 563 mil em julho. O contrato foi assinado em 2016, por um ano, e, desde então, é prorrogado por aditivos. Agora vai até 2019. Em Brasília, em média, um lava jato comum cobra R$ 30 pela lavagem.

Foto: Reuters

O presidente Michel Temer vai encampar a recomendação do Ministério do Planejamento segundo a qual não é possível dar aumento salarial ao funcionalismo em 2019. A sugestão de suspender o aumento, que beneficia diferentes categorias, foi levada ao presidente pelo ministro do Planejamento, Esteves Colnago. O Palácio do Planalto já recebeu a proposta, que deverá ser transformada em Medida Provisória (MP). A medida será enviada em breve ao Congresso. A decisão final sobre o adiamento do reajuste para 2020 caberá ao Legislativo. Com o orçamento apertado, o governo sustenta que haverá cortes bilionários nos programas sociais no ano que vem se não houver a suspensão do aumento, previsto para ser pago em janeiro, quando o novo presidente já terá assumido o cargo. A medida acarretaria uma economia de até R$ 11 bilhões no orçamento de 2019, considerando todos os servidores, entre civis e militares. Se o reajuste for adiado apenas para os civis, o impacto seria de R$ 6,9 bilhões, informou o Planejamento. A previsão é que as despesas com pessoal da União em 2019, como salários e encargos, seja de R$ 322 bilhões. O ministro do Planejamento já informou, em entrevista recente, que, se o presidente concordasse com o adiamento do reajuste, uma proposição deveria ser enviada ao Legislativo antes do projeto do Orçamento de 2019, conhecido como Lei Orçamentária Anual (LOA 2019). Conforme a legislação, o governo precisa enviar até 31 de agosto a peça orçamentária para o ano seguinte. Reajuste do Judiciário – O governo também já decidiu que irá esperar o Congresso se posicionar sobre a proposta de aumento de 16% nos salários do Judiciário, apresentada nesta quinta-feira (9) pelo Supremo Tribunal Federal (STF). Conforme antecipou a Agência Brasil, o reajuste irá onerar a folha de pagamento do Executivo em R$ 243 milhões. Se considerado o “efeito cascata” nos demais poderes e também nas unidades da Federação, as despesas podem aumentar em até R$ 4 bilhões, segundo projeções de técnicos da Câmara dos Deputados e do Senado Federal. Somente no Judiciário, o impacto seria de R$ 717 milhões ao ano. Nesta sexta-feira, o Ministério Público Federal (MPF) também anunciou a mesma proposta de reajuste para procuradores. Fonte: Bahia.Ba

Foto: Reprodução

O candidato a presidente pelo PDT, Ciro Gomes, declarou possuir um patrimônio total de R$ 1,69 milhão em registro feito nesta sexta-feira (10) de sua candidatura ao TSE (Tribunal Superior Eleitoral). Pela relação de bens, disponibilizada pela Justiça Eleitoral, ele afirma deter dois veículos automotores, cujos valores somam R$ 190 mil, e quatro imóveis, que totalizam R$ 1,2 milhão. O restante dos recursos, que chega a R$ 298 mil, é formado por depósitos bancários, recursos em créditos e poupanças, depósitos e participações societárias. Em 2006, última vez que disputou um mandato público, ele havia declarado à Justiça Eleitoral um patrimônio total de R$ 426 mil, que era constituído por um apartamento, um veículo e aplicações financeiras. Já a candidata a vice-presidente do PDT, a senadora Kátia Abreu (TO), declarou possuir um patrimônio total de R$ 2,69 milhões, dos quais R$ 694 mil são apenas em imóveis.O restante, um montante de R$ 1,99 milhão, é formado por recursos em caderneta de poupança, crédito de empréstimo e participações societárias. Em 2014, quando disputou o cargo de senadora pelo Tocantins, ela havia informado deter um total de R$ 4,13 milhões, composto por sete imóveis e um veículo. Até o momento, cinco candidatos a presidente registraram suas candidaturas. Além de Ciro, inscreveram suas chapas Geraldo Alckmin (PSDB), Guilherme Boulos (PSOL), Cabo Daciolo (Patriotas) e Vera Lúcia (PSTU). Os postulantes ao Palácio do Planalto têm prazo até quarta-feira (15) para apresentar a documentação.Fonte: Folhapress

Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom / Agência Brasil

Os ex-ministros da Fazenda Guido Mantega e Antônio Palocci, como outras nove pessoas, foram denunciadas por uma força-tarefa da Lava Jato do Ministério Público Federal no Paraná (MPF-PR), nesta sexta-feira (10). Esta é a primeira denúncia contra Mantega na Lava Jato em Curitiba. A defesa dele afirmou ao G1 que vai se manifestar nos autos quando tomar conhecimento da denúncia. Os denunciados vão responder pelos crimes de corrupção ativa e passiva e lavagem de dinheiro. De acordo com a reportagem, os crimes apurados envolvem a edição das medidas provisórias 470 e 472 (MP da Crise), beneficiando diretamente empresas do grupo Odebrecht, entre estas a Braskem, de acordo com o MPF. O objetivo da manobra legislativa, afirmam os procuradores, era permitir o pagamento parcelado de tributos federais devidos, com redução de multa, bem como sua compensação com prejuízos fiscais. As medidas foram aprovadas. Pela investigação, o empresário Marcelo Odebrecht teria oferecido promessas indevidas aos ex-ministros com o objetivo de influenciá-los na edição das medidas provisórias no Executivo. Mantega teria recebido R$ 50 milhões de propina do setor da empreiteira que era comandado por Fernando Migliaccio e Hilberto da Silva. A propina para Mantega foi lançada na planilha da Odebrecht nomeada "Planilha Italiano", na subconta "Pós-Itália", de acordo com a força-tarefa. Uma parcela do valor foi entregue aos publicitários Mônica Santana e João Santana, além de André Santana, para serem usados na campanha eleitoral de 2014.  Os publicitários teriam recebido R$ 15 milhões a partir do setor de propinas em 26 entregas.  A denúncia tem como base delações e provas das empresas Odebrecht e Braskem, entregues como uma das condições previstas nos acordos de leniência firmados pelas empresas. Fonte: Bahia Notícias

Foto: Reprodução

A marqueteira Mônica Moura voltou a afirmar em depoimento ao juiz Sérgio Moro, nesta sexta-feira (10), que negociou valores para campanha de 2014 diretamente com a ex-presidente Dilma Rousseff. "Pela primeira vez na vida eu negociei diretamente com uma presidente e com candidato, valores. E depois ela me encaminhou a Guido [Mantega, ministro da Fazenda à época] para que eu resolvesse a parte por fora. A parte por dentro, não, foi toda negociada com ela o valor, mas o partido pagou, nota fiscal, o tesoureiro da campanha", disse a marqueteira, segundo reportagem do G1. De acordo coma  publicação, a empresária relatou que encontrou-se três ou quatro vezes com Guido Mantega, na casa dele, em Brasília, para acertar os pagamentos "por fora" negociados com Dilma. Em um dos encontros, disse ter questionado sobre a origem dos valores. "Cheguei lá [no Guido] com a negociação fechada e disse: 'Acertei isso com a presidente e ela me disse que o senhor vai dizer como é que vamos fazer'. Aí, mais uma vez: 'Vai ser a Odebrecht'", disse a empresária. A ação em que Mônica foi ouvida é sobre pagamentos não contabilizados da Odebrecht para o casal de marqueteiros, feitos no Brasil e no exterior. Até a publicação do texto, a assessoria de Dilma não havia se manifestado. Fonte: G1

Foto: Reprodução

O Ministério Público da Bahia (MP-BA) ajuizou uma ação civil pública por ato de improbidade administrativa contra o prefeito municipal de Teixeira de Freitas, Temóteo Alves de Brito, por prática de nepotismo. Na ação, o promotor de Justiça George Elias Pereira, pede que a Justiça conceda medida liminar para que sejam suspensas as nomeações de nove servidores que possuem parentesco com agentes públicos no município. São eles: Luciana Strauch Fonseca, esposa do procurador-geral do Município; o secretário municipal de Finanças Paulo Sérgio Brito Saliba, sobrinho do prefeito, e sua esposa Simone Wildemberg; Elina Grasielle Souza, esposa do vereador Arnaldo Ribeiro Júnior; Ronaldo Cordeiro Filho, filho do vereador Ronaldo Alves Cordeiro; Bruno Barbosa, filho do vereador Agnaldo Teixeira; Daniella Afonso, filha do vereador Valci Vieira; Sônia Maria Coelho, cunhada do prefeito; e Nadja Hollanda, esposa do procurador adjunto Ivan Hollanda Farias. As nomeações, segundo a ação, afrontam a Constituição Federal, a Súmula Vinculante nº 13 do Supremo Tribunal Federal e a Lei Municipal nº 363/2005. O MP-BA tentou solucionar a questão através de uma recomendação e um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC), mas o prefeito não aceitou as propostas. Ainda no pedido, o promotor pede para que a Justiça proíba a prefeitura de realizar novas nomeações para cargos ou funções públicas de pessoas cônjugues, companheiros ou parentes, consanguíneos ou afins, até o terceiro grau, do prefeito, vice-prefeito, secretários municipais, vereadores ou qualquer agente público investido em cargo ou função pública; a devolução dos valores pagos aos mencionados servidores; e que o prefeito seja condenado por ato de improbidade administrativa. Fonte: Voz da Bahia

Foto: Reuters

A Polícia Federal prendeu na manhã desta sexta-feira (10) o empresário João Paulo Julio de Pinho Lopes, responsável pela corretora Advalor. Ele é suspeito de participar da lavagem de dinheiro de propina a agentes públicos. Pinho Lopes foi apontado como responsável pelos crimes em delação premiada do ex-subsercretário de Transportes Luiz Carlos Velloso, preso na Operação Tolypeutes, que apurou o pagamento de propina na construção da linha 4 do metrô do Rio de Janeiro. Velloso afirmou que a Advalor era a responsável por operacionalizar o recebimento de propina pelo deputado Julio Lopes (PP-RJ), que foi secretário de Transportes na gestão Sérgio Cabral (MDB). A corretora de valores também já havia sido citada nas investigações contra o ex-gerente da Petrobras Pedro Barusco. O juiz Marcelo Bretas autorizou a prisão preventiva do investigado, sem prazo para terminar. Fonte: Folhapress.

Entrevistas
Organizadores do “Bloco As Muriquetes” falam sobre a expectativa deste evento que vem animando os muritibanos a cada ano
Mídia TV
VT - Moderna Gestão e Assessoria
Mural de Recados
Tarsila escreveu para Joseane
"Vdd eu tbm eu quero saber tbm de todas as notícias desses anos que esta acontecendo muitas coisas ai è bom saber das coisas primeiro..."
Joseane Bonfim escreveu para Anderson Bella
"Ola, tudo bem? Sou Joseane Bonfim e estou fazendo uma pesquisa sobre os blogs da região de SAJ, o Midia Reconcavo se encaixa na categoria de Blog?"
Podcast
Spot - Câmara de Cruz das Almas
Escute o Spot da Câmara de Vereadores de Cruz das Almas.